quarta-feira, 14 de junho de 2017

Passeio de Maria Fumaça - Serra Gaúcha

Nosso quarto dia em terras gaúchas foi totalmente dedicado ao famoso passeio de Maria Fumaça na região conhecida como Vale dos Vinhedos, que abrange os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul.

Desde que você esteja de carro, é possível fazer o passeio por conta própria e escolher seus pontos de paradas. Nós optamos por contratar uma empresa por pura questão de comodidade. Fiquei meio arrependida, pois a comodidade teve um certo custo de ser levada a lugares que não gostei. Foram mais de 12 horas de passeio e um sobe e desce interminável do ônibus de turismo.

Em todas as empresas que cotei na época, a média dos passeios estavam custando uma média de 200 reais por pessoa. E aí entra o fator economia. Pesquisei muito, comparei muito e acabei comprando um passeio com a Shutz Turismo em um desses sites de compras coletivas (laçador de ofertas). Os passeios eram todos iguais, diferiam apenas na vinícula que iriam visitar (geralmente Garibaldi ou Tonet). Como a Shutz prometia levar na Garibaldi e eu queria visitar esta vinícula... fechei com eles pelo preço de 129 reais por pessoa.



O passeio começou com a empresa de turismo indo nos buscar no hotel às 6 da manhã e de lá fomos (dormindo) até Bento Gonçalves de onde partia o trem. Ingressos entregues pelo guia, fomos nos acomodar dentro do trem. Por "sorte", o nosso vagão era o vagão original da Maria Fumaça (os demais foram reformados e remodelados com o tempo).

                                              Vagão original                       Vagão reformado

O passeio dura aproximadamente 2 horas e onde percorremos 23 Km de trilhos. Durante todo o percurso um funcionário da empresa prestadora do serviço de trem, nos explica curiosidades e conta histórias sobre a colonização local. Além disso temos pequenas apresentações teatrais e shows de músicas regionais.





A primeira parada do trem é em Garibaldi, onde acontece degustação de espumante, vinho e suco de uva, ao som de música gaúcha e italiana.



A segunda e última parada é em Carlos Barbosa onde desembarcamos e seguimos rumo a visita a Fábrica Tramontina e a visita a loja de queijos Fetina de Formaio.


A loja de queijos fica em frente a fábrica da Tramontina. É muito boa, porém minúscula para atender aos inúmeros ônibus de turismo que param na fábrica da Tramontina. Muito gente, tumulto, filas... não consegui ficar nem 2 minutos lá dentro e resolvi me concentrar na loja da Tramontina. A loja é boa?? É. Você encontra muitos produtos que dependendo da onde você mora, dificilmente encontrará. Mas os preços não tem nada de competitivos e/ou atraentes. Acabei comprando apenas alguns itens por serem exatamente diferentes do que costumo encontrar por Brasília.




Saindo da fábrica da Tramontina, fomos assistir a Epopéia Italiana: um "parque" temático que conta a história de 2 imigrantes italianos rumo a uma nova vida no Brasil. São 9 cenários, em tamanho real, com um show de luzes e som. No final, somos convidados a degustar (novamente), suco de uva, vinhos e biscoitos.







O espetáculo dura 30 minutinhos e vale muito a pena.


Saindo de lá e mais um vez dentro do ônibus, fomos rumo a Bento Gonçalves, onde almoçamos no Via del Vino. Um buffet a kilo que já estava incluso no preço do passeio. Chegamos tarde e achei a variedade de comida bem escassa.





Do almoço, seguimos para nossa penúltima parada (já contaram quantas vezes subimos e descemos????), visita a vinícola Tonet. Pois é... para quem queria Garibaldi... foi meio decepcionante, inclusive pq a guia da vinícola não esperou todos descerem e eu como estava carregando uma criança dormindo no colo.... fui uma das últimas a descer e quando me aproximei do grupo para ouvir as explicações perto das parreiras... eles já se encaminhavam para os tonéis... e minutinhos depois... degustação de vinho. Acabei experimentando dois tipos de vinhos, mas não gostei de nenhum.





De volta ao ônibus... lá fomos nós para a última parada: malharias em Nova Petrópolis. E esta parada foi outra decepção. Paramos em um centrinho comercial com lojas de todos os tipos: sapatos, malhas, lanchonete, cremes hidratantes... e nada me chamou a atenção também.

E de lá, enfim... nos dirigimos a Gramado... já passavam das 19 horas quando chegamos no hotel.

O passeio valeu super apena por causa do passeio de trem e da Epopéia Italiana. Caso um dia retorne, farei o passeio por conta própria e escolhendo as minhas paradas.

Para quem quiser comprar os ingressos e fazer somente o passeio de Maria Fumaça:

https://www.giordaniturismo.com.br/mariafumaca/

É preciso comprar com antecedência.


segunda-feira, 12 de junho de 2017

Gramado/Canela - Parte 2

Como citado anteriormente, não alugamos carro durante toda a nossa estadia em terras Gaúchas, então nossos primeiros dias na cidade, foram focados em fazer os passeios de "difícil acesso" sem o carro. (não que seja difícil, mas dependeríamos de táxi, do bus tour, ônibus turístico de dois andares e/ou passeios contratados).

Seguindo o roteiro que tracei pelo google maps, nossa primeira parada do dia seria visitar a famosa Cascata do Caracol.

 Existem duas opções para admirar a Cascata: partir dos mirantes do Parque do Caracol ou do recém-inaugurado bondinho aéreo Parques da Serra.

Seguindo pela RS-466, a primeira bilheteria que vimos foi a entrada para o Parque do Caracol, como nós já conhecíamos o parque de viagens anteriores, nosso objetivo era curtir os bondinhos aéreos inaugurados em 2013, então, seguimos um pouco mais adiante. Na segunda bilheteria, paramos. Ali compramos os ingressos para os bondinhos. Pagamos 42 reais por pessoa e crianças com menos de 6 anos não pagam. Apesar de estacionarmos dentro do parque, não há pagamento de estacionamento.

O passeio no bodinho tem início na estação central, em frente ao estacionamento. No local há uma lanchonete com café, algumas lojinhas e um mirante de onde já é possível ver a Cascata do Caracol.

Dali embarcamos no bondinho em direção a primeira parada superior, chamada de Estação Animal. Os bondinhos sobem sempre de três em três e cada cabine comporta até seis pessoas.




A estação animal possui um trilha com 210 metros de extensão, com árvores nativas identificadas com plaquinhas e  painéis informativos que falam sobre a fauna e a flora da região.




Nesta Estação, ao final da trilha, há um espaço chamado Esculturas que falam. São cerca de 85 esculturas em madeira do artista plástico Masaharu Hata. As crianças interagem com as esculturas fazendo com que elas reproduzam o som de determinados animais ao deslizar pequenos bastões de madeira sobre a superfície da escultura, como se fosse um instrumento musical. Achei a atração super interessante para quem vai com crianças. Para adultos, achei bem sem gracinha.




Novamente dentro dos bondinhos, descemos até a Estação Cascata. Apesar do bondinho passar pela Estação Central, não há parada. Você passa direto até o mirante da Cascata. E é ali que é possível perder o fôlego com o visual incrível do lugar.

Tiradas as fotos, embarcamos novamente para o bondinho que nos levou novamente a Estação Central.




O parque abre todos os dias e seu horário de funcionamento é das 9:00h às 17:00h.

Para quem quiser uma opção mais econômica, sugiro parar no Parque Cascata do Caracol. A entrada custa 18 reais por adulto e é possível descer os cerca de 900 degraus para chegar pertinho da base da Cascata (isto é claro, quando reconstruirem a escada que está com parte dela destruída por conta de uma forte chuva que atingiu o local há cerca de 1 ou 2 anos atrás).

O parque fica aberto de segunda à sexta, das 8:45h às 17:45h, e nos sábados, domingos e feriados, das 8:45h às 18:00h.

Novamente dentro do carro, seguimos em direção ao Parque terra mágica Florybal.

No caminho, demos uma paradinha no Castelinho Caracol, uma das primeiras casas da região. Com 18 cômodos, a casa já foi cenário de filme e novelas. O ponto alto do lugar, além da visitação, é comer um apfelstrudel na sala de chá. A minha ideia era comer um desses, mas ainda estava muito cedo e deixei para voltar depois (e acabei não voltando).


 A casa abre para visitação todos os dias, das 9h às 13 horas. Fecha para o almoço e reabre das 14:20h às 17:40h
O ingresso custa 10 reais por pessoa. Crianças até 10 anos não pagam entrada.

O Parque Terra Mágica Florybal é um parque enorme, idealizado pelo dono da Florybal Chocolates (uma das principais marcas de chocolate artesanal da cidade) e perfeito para a diversão das crianças.

Nós compramos nossos ingressos com desconto pelo Tchê Ofertas (ingresso e o cinema 7D por 49 reais). Infelizmente uma prática bem comum na região é a compra do ingresso para a atração e ter mais um monte de coisas para fazer e que são pagas por fora. Então, caso vc vá comprar o ingresso para este parque, fique de olho nestes grupos de descontos pq vc acaba pagando um valor mais baixo e com pelo menos o cinema 7D incluso.

O parque é muito bem estruturado e com esculturas gigantes e perfeitas.



Logo na entrada, você tem direito a degustação de chocolates, mas vá sem pretensão nenhuma, pq é apenas uma pequenininha amostra.

Logo depois, vc passa por uma sala enorme com uma bela fonte de chocolate. Mas achei o ambiente muito escuro e a fonte perdeu um pouco do seu brilho.


Assim que entramos realmente na parte da diversão infantil, encontramos o coelhinho da Páscoa. Como fomos na época do feriado... encontramos a coelha, o coelho e o coelho mago. rs....

Logo no início do parque está o restaurante principal, o Castelo Medieval, tem lanchonete, restaurante, um imenso playground pago por fora, teatrinho infantil, banheiros, uma loja de chocolates florybal e uma loja de lembranças do parque.

O parque em si não conta com muitas atrações, e particularmente ainda não entendi o propósito com a mistura de cenários de dinossauros, esculturas de cunho religioso, cunho místico entre outros,  mas é perfeito para fotos, pois é repleto de esculturas, muitas com sons e perfeito para as crianças.










 Do parque, seguimos ao outro lado da cidade: Cristais de Gramado.

" Pioneira no Rio Grande do Sul e referência nacional na arte da fabricação do cristal artístico com a mesma técnica que os italianos utilizam na Ilha Murano em Veneza. Com base nesta técnica, conhecida como "di Murano", o cristal é moldado por meio de sopro e movimentos manuais que resultam em peças com cores e design exclusivo."

Além das peças lindas, de tempos em tempos eles fazem uma demonstração de como fazer vasos usando a técnica do sopro. Confesso que me senti em Murano vendo a mesma apresentação. A diferença foi que lá eles fizeram um cavalo... e aqui foi um vaso lindo.





Acabei comprando algumas coisinhas, confesso que não achei tão caro... Aproveitei e troquei o voucher que ganhei da DZ receptivo (quem aluga o carro, ganha um anjinho de cristal).

Como a Gramado Cristais, fica praticamente ao lado do outro portal de Gramado, aproveitamos a paradinha, para tirarmos algumas fotos.


De volta ao hotel e já exaustos, partimos rumo ao restaurante Torquês, em Nova Petrópolis para curtir uma noite Alemã. Desta vez, deixamos o carro no hotel e fomos com a Excellence Turismo. Fechei a noite diretamente com o proprietário da empresa por zap, ainda de Brasília e foi ele mesmo quem nos levou em carro privativo.








Existem dois restaurantes tradicionais que fazem a noite alemã em Nova Petrópolis: O Torquês e o Lindenhof. Pelas minhas pesquisas, o Lindenhof é um restaurante alemão com uma comida não tão típica e com gincanas e animações durante o jantar. Já o Torquês é um restaurante tipicamente alemão, com danças alemãs e comida alemã. E por isto fiz a escolha por este.

Gostei demais do jantar. Era tanta comida... e tudo tão gostoso !!! E o que dizer das danças??? Muito animado. Indico muito este jantar. Até a minha pequena curtiu.

video


Já exaustos, chegamos por volta da meia noite no hotel e nos jogamos na cama para dia seguinte, acordamos mais cedo ainda. Era dia do passeio de Maria Fumaça.









* Créditos:
http://www.castelinhocaracol.com.br/PT
http://www.parqueterramagicaflorybal.com.br/