quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Sevilha - Parte 2



Nosso Segundo dia em Sevilha começou bem cedo. Tomamos café, fizemos o check out, deixamos as malas no hotel e partimos rumo a tão falada e famosa Plaza de Espanha.

No caminho, passamos pela Universidade de Sevilha (Antiga Fábrica Real de tabacos) e seu prédio maravilhoso.


A caminhada até a Plaza de España foi bem curtinha. Chegamos pelos fundos da Praça e inicialmente não achei nada demais. Mas quando entramos no prédio... nossa... que fantástico!!!



A praça na verdade é complexo de prédios, chafariz, pequenas fontes e até um pequeno lago onde é possível alugar barquinhos para passear e centenas de azulejos clássicos que retratam cada cidade da Espanha e que são simplesmente divinos. Uma pena ser difícil tirar foto destes azulejos... as pessoas sentam ali para bater papo e não saem por nada deste mundo (rs.....). A Praza de España, foi construída na década de 20, tendo sido concluída somente em 1929 para a exposição Iberoamericana. 








 Hoje, a sua principal função é abrigar alguns prédios do governo.

Aconselho a rodar pela Praça e subir até seu balcão para admirar a vista lá de cima.
Para quem não sabe, a arquitetura do lugar é tão fantástica que várias séries e filmes já usaram a praça como cenário para suas produções. Os exemplos clássicos (mais conhecidos), Missão Impossível e Guerra nas Estrelas.



Atravessando a rua, bem em frente a Praça, nos deparamos com o Parque Maria Luiza. Considerado um dos parques mais bonitos da Espanha, vale a pena uma paradinha. O parque conta com lagos, parquinho, bicicletas família para alugar, patos, charretes e etc.






Do parque, fomos caminhando acompanhando as margens do Rio Guadalquivir e fazendo pequenos desvios para visitar alguns pontos turísticos como o Palácio San Telmo que tem uma fachada incrível e nem sempre está aberto a visitações (no nosso caso, passamos por ele no Domingo e estava fechado). 




Passamos novamente pela Tore del Oro.


Um pouco mais a frente, nos deparamos com o Teatro de la Maestranza e logo atrás o Hospital de la Caridad que é um edifício em estilo barroco, fundado em 1674 e o que chama a atenção do Hospital, é sua capela que além de ser aberta ao público contém  uma das mais belas obras barrocas de Sevilha.


Ao ladinho, ficava a Plaza de Toros de la Real Maestranza, mas resolvemos não entrar ainda. Estava quase na hora do almoço e resolvemos seguir o caminho em direção ao Bairro Triana.
Triana é um dos bairros mais tradicionais de Sevilha. Lotado de bares, restaurantes, lojas e os tradicionais shows de flamenco.




É neste bairro também onde fica o tradicional Mercado de Triana que é uma excelente opção para comer. Na saída dos fundos vc ainda encontra uma rua com várias lojas lotadas de cerâmicas locais lindas.



Só evitem os Domingos e a hora da Siesta. Como fomos aos Domingos, só encontramos algumas opções de restaurantes abertas, todas as outras lojas estavam fechadas. E como a Siesta é muito respeitada em Sevilha, creio que esta hora, tudo deve fechar também.

Após do almoço, atravessamos novamente a Ponte Triana e fomos em direção a Plaza de Toros.


Esta é uma das mais famosas Praças de Touros do mundo além de ser uma das mais antigas também.
As touradas começam no Domingo de Páscoa e vão até Outubro, porém como sou totalmente contra as touradas, não quis assistir nenhuma. Apenas quis conhecer o local devido a sua importância cultural.

As visitas são guiadas. Não existe a opção de visitar o local sozinho. Vc primeiro é encaminhado a arena onde acontecem algumas explicações e depois segue até o museu onde aprende um pouco mais sobre as touradas.








Confesso que achei a visita um tanto quanto monótona e no final como a pequena já dormia no meu colo, aí que parei de prestar atenção totalmente (não é possível fazer a visita com carrinhos de bebê, vc tem que deixá-los do lado de fora e buscar só no término).  Para mim, a visita valeu mesmo pq nunca eu tinha entrado em uma Praça de Touros.

De lá começamos a fazer o caminho de volta para o hotel. Era hora de pegar as malas e seguir para o aeroporto.




Só não sabíamos que nosso voo seria cancelado. E isto para mim foi uma surpresa. Nunca pensei que andar de avião pela Europa fosse algo tão “complicado”. De todos os voos que pegamos, dois foram cancelados e tivemos que dormir em hotéis pagos pela empresa e acordados às 4 da manhã para pegar voos às 6, 7 da manhã e todos os demais voos, TODOS saíram com atrasos. E não foram atrasos de 15 minutinhos não. Foram atrasos acima de 30 minutos. Ainda por cima na última viagem, por conta de um atraso de quase 2 horas, perdemos a conexão, fomos parar em Roma, perderam o carrinho da pequena e até hoje estamos na briga atrás de reembolso do carrinho. Acho que esta foi a maior decepção que tive em termos de serviços na Europa. Caso vc possa optar por trem... vá em frente. Todos foram extremamente pontuais, confortáveis e com muito menos burocracia.

 Nossa estadia nesta viagem foi em um Hilton, que pra mim, só tem nome. Eles não estão preparados para receber tantos hóspedes. Depois de 4 horas a espera do ônibus para levar os passageiros, o check in foi absurdamente demorado, quando entramos no quarto, 5 minutos depois outra pessoa abria a porta pq deram os mesmos quartos para 2 pessoas, o jantar foi péssimo. Deram somente a opção de peixe e ele estava cru e a sobremesa perfumada.






 Enfim... esta foi nossa primeira vez em cancelamento de voo na vida. Depois conta o segundo cancelamento e nossas aventuras. rs......

OBS: Não andamos só de low coast. Então posso afirmar que o problema é generalizado por lá. Empresas aéreas que voamos: Alitalia, Air Croacia, Vueling, Suiss Air, Eurowings e Lufthansa.