terça-feira, 2 de maio de 2017

Granada - Parte 2

Nosso segundo dia por Granada foi focada para conhecermos os demais pontos turísticos da cidade.

Saímos pela rua atrás do hotel e com todos os bares e restaurantes fechados, pudemos ver que vários daqueles prédios tem alguma importância local.


O primeiro objetivo do passeio, era a Catedral de la Anunciación. Bem coladinha com a Catedral, na mesma praça, fica a Iglesia Del Sagrario em estilo barroco de 1705.


A Catedral é considerada a primeira  Igreja Renascentista Espanhola, com início de construção datado de 1492.

A suntuosidade de sua construção só é visível mesmo quando se entra, pq do lado de fora, a Catedral se encontra meio que espremidinha entre várias construções.





OBS: Uma coisa que me incomodou absurdamente em Granada, principalmente perto da Catedral, foram mulheres oferecendo uns raminhos de ervas em troca de dinheiro. A abordagem é bem incisiva e em alguns momentos, confesso que senti medo quando uma delas me abordou fechando passagem e olhando fixamente para a minha filha. Então, tomem cuidado.

Para visitar a Catedral paga-se 5 euros por pessoa com o áudio guia incluso. Menores de 12 anos não pagam.

Visitas de Segunda a Sábados das 10:30 às 18:30. Nos domingos e dias festivos, das 14:30h às 17:30h

Após darmos uma volta pelo lado de fora da Catedral, entramos na Calle Oficios local onde fica o Palacio de la Madraza e a Capilla Real.


O Palacio de la Madraza conserva o oratório da primeira escola corânica fundada em 1349. Este prédio também foi a primeira sede do Ayuntamiento (Prefeitura) de Granada.


Queria ter entrado, mas infelizmente bem na porta, tinha uma estátua viva da Morte e a pequena morreu de medo, se agarrou a mim e nem pensar em entrar. rs....

Logo em frente, fica a Capilla Real construída pelos Reyes Católicos em 1504 para sua sepultura. A Capela é belíssima e infelizmente não é possível tirar fotos no seu interior.



No final da Calle Oficios há uma entrada para a Alcaiceria (mercado de seda) e aproveitamos para atravessar o local, conferir os produtos que são vendidos e acabamos pegando uma saída que desembocava em uma praça com algumas opções de restaurantes e dali fomos andando meio que sem destino.




 



Não era tão sem destino assim, nosso objetivo era o Mosteiro de San Jerônimo.

Pelo caminho, fomos passando pela Antiga Igleja del Colegio de San Pablo de la Compañia de Jesús.


A Congregação de San Felipe Neri,


E por fim o Monastério de San Jerônimo, construído em 1504, fundado pelos Reyes Católicos e cedido a ordem  Jerônima em 1523.




 A visita custa 7 euros e é gratuita na Segunda-feira, na parte da tarde, se for agendada com antecedência.

Continuamos a caminha pela cidade, seguindo em direção ao hotel.





No meio do caminho, paramos da Confeitaria Rey Fernando para comer o tradicional Pionono, doce produzido em um povoado chamado Santa Fé, pertinho de Granada. Este doce consiste de uma folha fina de pão de ló enrolada em forma de um cilindro embedecido com algum tipo de líquido doce e coberto com creme


Depois de descansarmos um pouco do calor, saímos novamente para jantar e fomos curtir um pouquinho a cidade iluminada.







No próximo post, conto os detalhes da visita a Alhambra.


Nenhum comentário: