terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Bruxelas - Parte 1



Saímos cedo de Luxemburgo, rumo a Bruxelas. Como nosso hotel ficava em frente a estação em Luxemburgo, pegamos nossas malas, atravessamos a rua e compramos os tickets direto no guichê de passagens internacionais. Por conta de uma interdição em um trecho dos trilhos. Primeiro fomos encaminhados a um ônibus que nos levou a uma estação perto de Luxemburgo (e que não me recordo do nome). A viagem durou cerca de 3 horas e chegamos em Bruxelas por volta da hora do almoço. Na verdade, já passava da hora e eu confesso que estava desesperada de fome. 

Algumas ruas ficam fechadas durante o final de semana e depois das 18 h. (rua do nosso hotel).

Da estação central de trens em Bruxelas, pegamos um táxi rumo ao hotel, fizemos check in, deixamos as malas no quarto e fomos andando em direção a Grand Place ou Grote Markt.  

  
Para nossa surpresa, após uma rápida caminhada de 5 minutos, ao olhar para a minha direita, vi uma multidão de apertando em um cantinho e junto com o marido, resolvemos dar um pulinho no local para ver o que era: Manneken Pis. Que se não me engano, é um dos monumentos mais famosos de Bruxelas. O Manneken Pis é simplesmente uma pequena fonte de bronze onde um menino faz xixi em uma bacia. (rs....). A estátua original foi uma forte influência até aqui no Brasil. Para os torcedores fanáticos do Botafogo (Rio de Janeiro), existe na frente da sede do clube, uma estátua bem semelhante e chamada de Manequinho. O porque desta estátua ser famosa e o porque da sua influência, eu não faço ideia. Pelo que pesquisei na internet, várias lendas cercam a história da estátua. Mas eu só posso afirmar que ela foi colocada neste local em 1619 e a tradição local é ficar trocando a roupa da estátua várias vezes ao ano. Nos quase 7 dias que passei por lá, tive o prazer de vê-lo pelado e com duas roupinhas diferentes (rs......).

 
Ao lado da estátua do Manneken Pis, encontramos um mundo de lojas de waffles. Cada um mais enlouquecedor que o outro. Eu que estava morrendo de fome... quase entrei vitrines a dentro. Porém para nós que estamos com a cotação de euro de 4 para 1... deixei para me deliciar mais tarde. Apesar de anunciarem o waffle por 1 euro, este valor é referente somente para o waffle puro. Os demais custam a partir de 6 euros e cá entre nós... por mais bonito que fosse... 24 reais em um waffle de 8 cm... não rola para todos os dias. (até pq seria um para mim e outro para o marido).


Este comemos no final do dia.

Caminhando um pouco mais, chegamos a Grand Place. Considerada uma das praças mais bonitas da Europa, recebeu o título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco. O prédio mais importante da praça é o prédio da prefeitura. Com uma torre de 96 metros de altura, possui em seu topo uma escultura do arcanjo Miguel matando um demônio. Construído entre 1402 e 1455.






O segundo edifício mais importante da Praça, é a  Maison Du Roi ou Musée de La Ville. Projetado para ser a residência real, nenhum rei nunca morou ali e hoje é o museu da cidade, que apresenta, entre outras coisas, os mais de 600 trajes feitos para Manneken Pis.  Na Grand Place também se encontra o Museu do Chocolate e a Loja do Tin-Tin (Rue de la Colline 13, na rua onde está a Godiva).



Após tiramos algumas fotos, dar uma paradinha para o almoço, nos encaminhamos em direção ao Moof Museum. 



Um dos locais mais esperados por mim (rs....). É um museu em grande parte dedicado aos Smurfs e ao Tin Tin. O museu não é grande, mas achei bem rico em ilustrações e personagens !  Eu adorei cada cantinho, cada smurf... e tive vontade de comprar TUDO. Me contive com uma blusinha da Smurfete para a biscoitinha... mas até agora me arrependo de não ter comprado um smurf de pelúcia (coisa bem difícil de achar por aqui).




















Saindo do Moof, andamos em direção a uma pracinha fofa e acabamos dando de cara com as Galerias St. Hubert. Uma rua “shopping” coberta e considerada a mais antiga da Europa ocidental. Construída em meados do século 19, hoje possui lojas de roupas e chocolates. Formada por três galerias: Galerie du Roi, Galerie de la Reine e Galerie des Princês. Vale a pena atravessá-las e conferir sua arquitetura e ver o belo telhado de vidro. 





Da Galeria, saímos em direção ao local mais complicado de se achar. Marido cismou que queria encontrar a Yanika-Pis. Ele leu em algum canto que um dono de bar, teve a “brilhante” ideia de colocar uma estátua de uma menina fazendo xixi. Rodamos feitos loucos... já sem a menor vontade de encontrar a estátua, marido acabou encontrando, em uma ruela cheia de bar e mega mal encarada. Eu achei a coisa meio esdrúxula. Ok, não deveria, afinal, se todo mundo acha bonitinho o menino fazendo xixi, qual seria o problema com a menina??? Sinceramente, não sei... mas achei aquilo feio e de péssimo gosto. Rs....



De lá nos encaminhamos rumo ao hotel. No caminho paramos no Carrefour para comprarmos algumas coisinhas para lanchar/jantar e exaustos, preferimos comer no hotel mesmo.
No meio do caminho, passamos por uma estátua que sinceramente não descobri até agora o significado. Só sei que todos que passavam por lá, passavam a mão na estátua... então sem entender nadinha de nada, passei também. Mas não me perguntem sobre, pq não sei explicar. Caso alguém saiba e possa me explicar... esteja a vontade. Rs...






-> Moof Museum - Aberto de ter a dom de 10h às 18h. Adulto 10 euros, crianças 3 euros (menores de 10 anos).
Rue Marché aux Herbes 116 B - 1000 Bruxelas (pertinho da Estação Central de Trens).
http://moofmuseum.be/

-> Yanika-Pis - Rue da la Fidelité (esquina com a Rue de Bouchers)

-> http://viajeaqui.abril.com.br

-> Wikipedia


Um comentário:

Mika disse...

Que lugar lindo e esse bonequinho qe graça kkkkkkk adorei as dicas, belas fotos.

--------------------♡
Beijos, Mika {Decidi ser Mãe}