sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Genebra - Parte 2


Nosso segundo dia em Genebra começou cedinho com uma rápida caminhada até o Lac Léman. Nosso objetivo era chegar até a cidade velha na parte alta da cidade. E mais uma vez fui surpreendida por um lugar super gracinha, perfeito para uma caminhada a pé e bons momentos de admiração das construções, fontes, prédios históricos...








Nossa primeira parada foi a Praça de Armas. Não considero bem uma praça mas sim um espaço embaixo de um prédio histórico onde vc encontra um canhão de ferro maciço de 1683 e afrescos decorativos nas paredes.




Bem em frente, fica o Hôtel-de-Ville (Prefeitura) datada do século 16, porém suas colunas datam do século 14.




Caminhando mais um pouco, passamos pela Praça Bourg-de-Four e logo em seguida, chegamos na Catedral ( Cathédrale  Saint-Pierre), um dos pontos mais altos de Genebra. Erguida entre 1150 e 1250, por volta de 1535, a Catedral se tornou um lugar de culto protestante e todas as imagens de santos, foram retiradas do lugar e até hoje ela se encontra da mesma forma.





O ponto alto da Catedral é a sua vista de 360 graus da cidade. Apesar da subida ser paga, vale MUITO a pena subir a escadaria para admirar a paisagem.






  Por toda cidade, encontramos estas pessoas com blusas laranjas. Eles dão dicas de passeios, mapas, explicam como chegar em determinados lugares e tiram dúvidas.


No caminho de descida da Catedral, passamos pela Place Du Molard. Fica pertinho da Rue du Marche e o lago. Esta praça,além de restaurantes, bares e lojas, possui dois destaques. O primeiro é a Torre Molard, construída em 1591, sendo reconstruída diversas vezes. A torre está aberta a visitação (quando fomos no Domingo, estava fechada) e possui um busto de Lenin (que se refugiou na cidade em 1920) com a frase: Geneva Citi de Refugiado.



O segundo destaque, fica por conta do piso da praça, que possui pedras que brilham a noite. O chão fica parecendo um céu estrelado. Em cada pedra iluminada, há palavras em escritas em vários idiomas.




Da Place Du Molard, fomos caminhando em direção a Tour d`Ile ( Tower of the Island). De acordo com o site Myswitzerland, por anos, este local foi o único ponto de controle da conexão européia Norte Sul. Em 1930, foi construído um castelo onde somente uma das torres restou. Nesta torre, há uma placa em que é informado que a ponte foi destruída em 58 D.C por Júlio Cesar e a sua reconstrução a tornou a cidade um centro comercial relevante.


Desta ponte, caminhamos novamente em direção a Estação de trem (Gare Cornavin) para pegarmos um ônibus em direção ao Mont Salève.

Para chegar ao Monte, pegue o ônibus número 8 em direção a Veyrier-Douane. Em cerca de 20 minutos chegamos quase que na fronteira Suiça - França. Lembrando que como éramos turistas, usamos o ticket gratuito para o transporte público.



Apesar de ser um dos cartões postais de Genebra, o Mont Salève e seus imponentes 1300 metros de altitude, estão localizados na França. Para chegar lá é bem simples e apesar de existir um posto aduaneiro, a fiscalização foi zero. Apesar de terem me aconselhado a levar o passaporte, não passamos por nenhum tipo de revista, mas a dica é importante, pq querendo ou não, vc está passando de um País para outro e pode sim ter seu documento solicitado por uma simples checagem, principalmente agora com toda esta questão de imigração vindo a tona. Como estou sempre com o passaporte colado no corpo durante as viagens, a dica fica para quem não costuma andar com o documento, ou costuma andar só com a xerox.


Da parada de ônibus até a entrada do cable car, você anda uns 15 minutos a pé. Não vou dizer que é super bem sinalizado, mas também não é fácil se perder.


O preço do ticket do teleférico é de 11.80 euros (ida e volta) por pessoa e crianças pequenas não pagam. São apenas dois bondinhos que fazem o trajeto de subida e descida e o fofinho é que um bondinhos é decorado com bandeirinhas da França e o outro é decorado com bandeirinhas da Suíça.



Chegando lá em cima... a vista é simplesmente espetacular !!



Além de admirar a vista, você pode sentar em um restaurante para comer alguma coisa, levar as crianças para brincar no parquinho, ou seguir por entre as várias trilhas para admirar outros locais.

Eu escolhi a trilha do Mont Blanc por ser a mais rápida e agradeço por ter ido sozinha. É uma trilha bem complicada para subir com crianças pequenas e idosos.



 Chegando lá em cima, por ser verão e não ter neve, não tive uma visão muito clara do Mont Blanc.


Para subir ao Salève, você pode escolher ir de carro, teleférico ou a pé (trilha). De carro, você pode pegar a rodovia D41A. É só digitar o GPS o endereço é Route des 3 Lacs, Monnetier-Mornex, França.

Após o retorno a Genebra, almoçamos e seguimos rumo ao aeroporto.


Foram quase 3 dias incríveis em Genebra. Parti com gosto de quero mais. Há MUITO o que se fazer na cidade. Fizemos apenas um roteiro básico. Muitos lugares para conhecer, muitos day trips fantásticos... e não vejo a hora de poder voltar e desbravar cada cantinho do lugar que faz parte dos meus sonhos deste os 5 anos de idade.



Nenhum comentário: