terça-feira, 30 de junho de 2009

Há 14 anos atrás ...



Eu vivia o dia mais triste da minha vida ... Era um dia chuvoso e eu tinha ido buscar o meu avô após mais uma sessão de hemodiálise . Eu estava junto com a minha avó e nós tínhamos acabado de sair do supermercado cheias de geléias de mocotó e farinha láctea : Meu avô precisava engordar um pouquinho.

Não deu tempo ... ele não pode comer nada daquilo e para mim, de forma precoce, ele nos deixou.

Aquele dia nem de longe seria o pior da minha vida ... vários dias tenebrosos foram passando e por momentos eu achava que aquele pesadelo jamais acabaria.
Não fui ao enterro, porém continuei a assistir cenas que nunca mais sairiam da minha cabeça.

Para mim, o pior momento foi ter que desafazer o armário dele e separar todos os ternos para serem dados. Sim ... esta tarefa foi de responsabilidade minha e ninguém percebeu o quanto isto foi terrivelmente doloroso para mim... Não tinha ninguém em casa ... estavam todos no enterro ... e eu só conseguia chorar enquanto retirava as roupas do armário e o perfume que ele mais gostava se espalhava pelo quarto. Foi terrível demais ... Enfrentei tudo praticamente sozinha, pois não podia pedir colo a minha avó que também sofria e muito menos a minha mãe que afundou em um duradoura depressão.

Quando resolvi escrever este post, não era para falar deste momentos negros já que eles felizmente já passaram ... afinal, quando penso no meu avô só consigo me lembrar dos momentos maravilhosos e mais que perfeitos que marcaram a minha infância.

Meu avô era advogado. Um brilhante advogado. E dentre seus clientes estava uma fábrica de doces que ficava no Méier !! Todo Sábado ele passava por lá para resolver algum problema pendente e na volta para casa... após uma tocada de buzina tradicional, eu descia correndo para receber uma bandeja do docinhos e outra de salgadinhos que logicamente nos acompanhariam no almoço de Sábado. Estas bandejas eram as tradicionais ... todo Sábado tinha, porém ... algumas vezes, eu recebia uma caixa com doce de abóbora, aqueles que são durinhos por fora e molinhos por dentro ! Ele sempre levava os doces de abóbora em formato de coração ! E as cocadas ??? Diversas cocadas e com muitos sabores diferentes ...

E o que falar da feira de todos os Domingos ?? Meu avô tinha a capacidade de conhecer todos os feirantes !! Geralmente nós chegávamos na feira às 6:30 hs da manhã e só voltávamos lá pelas 10 hs. Ele experimentava todas as laranjas, mangas, bananas e sempre comprava um biscoitinho para mim e para a minha mãe : Ela ganhava o casadinho de doce de leite e eu escolhia algum outro. Eu nunca fui obrigada a ir a feira ... mas sempre estava lá ... visando os biscoitinhos e os papos advocatícios do meu avô.

As saídas para comprar banana na Estrada Rio - Petrópolis, os passeios para almoços nas casas dos clientes, os jogos da seleção que sempre o mantinham sério e compenetrado enquanto eu e a minha avó gritávamos horrores, as aulas de teatro que ele me dava para quem sabe eu virar atriz de teatro, a soneca no sofá depois do almoço, as horas que ele passava na máquina elétrica digitando longas petições ... tudo isto me faz lembrar dele. Lembranças que me fazem chorar ... um choro de alegria ... um choro por saber que eu tive um grande avô !!!! Um avô que mesmo longe está sempre perto de mim e que tenho a certeza de que me deu a honra de estar ao meu lado no dia do meu casamento.

Eu tive a sorte de ter um avô magnífico que nunca pode me dar grandes presentes, mas me deu grandes lições de amor, carinho, força de vontade e resignação. Ele soube me dar pequenas atitudes que me transformaram em uma grande mulher.

Meu avô foi meu pai ! Um pai que nunca tive ... e se hoje eu choro ... é por saber que pude ficar tão pouco tempo tendo a sua presença física e constante.

Eu vou amar você para sempre !

14 comentários:

Noivinha Fatinha disse...

Ai que post lindo!!!
sem palavras!!!
bjao

Danee disse...

LINDO! Me fez chorar e lembrar do meu avô. Que eles estejam bem e felizes onde quer que estejam.
Beijocas

Thania disse...

Q post lindo...
Eles nos matam de saudade né???
Mas eles ficam ali, no céu, escondidinhos nos espiando e cuidando de nós pra sempre...

Bjoxxx

♥ Karlinha ♥ disse...

É minha querida, também passei por isso mas como meu papai...
Eu que o socorri quando ele passou mal. Eu que tive que arrumar as roupas deles, eu que corri atrás dos documentos e 2 meses antes do meu casamento fui fazer a exumação do corpo.
É uma sensação única. Não me arrependi. Me fortaleceu bastante e pude pensar em várias coisas que me afligiam.

Sei muito bem o que você sente. É muito ruim perdermos uma pessoa tão especial assim.
Mas por outro lado é gostoso lembrar desses momentos mágicos e únicos, né?
Como eu sempre digo... se bateu saudade é por que valeu a pena!

Te adoro, viu!
Beijinhos no seu coração!

Elaine disse...

Maitê querida,
me emocionei ao ler seu post, apesar de vc já ter me contado a história do seu avô...
linda, essa saudade que sentimos nos fortalece e como vc mesmo disse seu avôzinho te ajudou a transformá-la numa grande mulher.
Não desanime nunca, afinal a morte dele ocorreu apenas neste plano. Eu sei que vc acredita nisso assim como eu!
mil bjos,
Elaine

Luciana disse...

Querida....

tenho lágrimas nos olhos... Um dos amores mais bonitos são dos avós. Claro que a saudade doi muito, mas temos que agradecer muito a Deus a oportunidade de ter tido essas pessoas tão importantes em nossas vidas. Nem todos tem esse privilégio.

Um grande beijo!

disse...

O tempo conforta qualquer dor. Passei por isso com a minha avó. Sofri, chorei, mas hoje cultivo uma saudade gostosa e só lembro de coisas boas. Ela sabe o quanto eu a amo e o quanto eu aguardo ansiosamente o nosso reencontro. Grande beijo

Vivia disse...

Maitê, querida! Conversamos hoje mas eu ainda não tinha lido esse post simplesmente maravilhoso!
Essas pessoas maravilhosas são como anjos em nossas vidas, que vem nos mostrar o que de mais valioso existe. Infelizmente elas não ficam muito tempo pertinho de nós, mas eu imagino o motivo: elas vão encantar a vida de outras pessoas!!!

Muitos beijos, querida!!! Pode ter certeza que parte do que você é hoje, é graças a ele...

Rô. disse...

Que lindo... me emocionei...
E realmente o que importa são as boas lembranças...
Um bjão querida..

babijoia disse...

Quando eu li seu post eu lembrei exatamente da minha avó. De como eu era próxima dela, de como ela me faz falta de como todas as noties até os meus 12 anos ela segurava minha mão. Quando ela se foi, nem sei dizer a dor que eu senti. Naminha formatura coloquei a música do Roberto Carlos em homenagem a ela e todo final de ano, no dia do show dele todo mundo aqui em casa sente um vazio. Ela era amada por todos , uma pessoa doce, boníssima de coração que eu era muitíssimo apegada. Para vc ter noção, fiquei sem dormir um mês fora de casa porque não podia suportar a idéia de entrar em casa e lembrar que ela era a minha melhor amiga. Adorei o seu post, me trouxe saudades tb!
www.intimofeminino.blogspot.com

babijoia disse...

Quando eu li tespost elmbrei da minha avó materna que era a pessoa mais presente da minha vida e com quem tive uma afinidade incrível. Até os meus 12 anos ela dormia todas as noites ao meu lado, segurando a minha mãe, me acalentando e ninado o meu sono. Quando ela se foi, a dor que eu senti foi algo muito forte, fiquei sme conseguir colocar o pé em casa durante um mês. Não podia chorar na frente da minha mãe que estava acabada e sobrava chorar só. Hoje lembro dela com um carinho sem igual, ela é o meu exemplo, a minha lembrança mais carinhosa, a mulher mais fofa e mais íntima de mim. Foi lindo seu post lembrei dela agora.Bjks!
www.intimofeminino.blogspot.com

Carol disse...

Que lindo o seu post!!
Me emocionou e muito!

O que conforta é que ele sempre está do seu lado e te protegendo!!

Bjinhus

Ellen disse...

Oi, Maitê!
Que post lindo e cheio de carinho...
me emocionei... me fez lembrar minha vó que faleceu a pouco tempo...
Tbm não fui ao enterro dela, mas as boas lembranças estão vivas na mente e no coração eternamente...
E isso é o mais importante!!!
beijinhos

Denise e Eduardo disse...

Maitê,
Meu avô tb foi meu pai e sinto muita falta dele. Ele de longe cuidava de tudo e nos dava uma segurança tremenda... não gosto nem de pensar nisso, ainda mais que amo demais minha vó e não posso pensar em perdê-la... faz parte da vida, mas perder quem se ama é ruim demais... emocionante seu post.
Bjs!!!