quarta-feira, 16 de maio de 2012

Veneza - Parte 2


Bom dia meninas !!!!

O nosso segundo dia em Veneza começou com uma bela surpresa ... a “acqua alta”. Eu já sabia que iríamos passar por este fenômeno ... mas sabe quando vc acaba esquecendo e leva um susto quando vê ??? Pois bem ... foi isto que aconteceu comigo e com o marido.

Para quem não sabe ... uma pequena explicação sobre o que é a “acqua alta”:

“É sabido que Veneza ameaça afundar sob a “acqua alta”, uma inundação periódica resultante da subida da maré e do afundamento dos alicerces de madeira, mas o projeto está longe de ser unanimidade. Há os que apontam para potenciais e sérios problemas ambientais. O certo é que a “acqua alta” é uma realidade que você pode vivenciar, se optar por visitar Veneza entre outubro e novembro – o nível da água pode aumentar muito e a praça inunda! A prefeitura costuma construir pontes de madeira para permitir o acesso dos turistas.”

Você pode consultar neste site: http://www.eurometeo.com/italian/read/doc_acqua-alta-venezia, que prevê as marés na cidade com cerca de 72 horas de antecedência e providenciar as galochas se necessário.








O interessante deste fenômeno é que de manhã cedo, o único acesso que você tem a várias partes da ilha é por cima das pontes que a Prefeitura “arma” ... aí o tempo passa ... e antes mesmo das 12 horas ... já está tudo “sequinho” e as rampas sendo retiradas !!!



Bem ... engraçadinha do jeito que eu sou ... ADOREI brincar nas passarelas !!! E só não comprei uma galocha para “mergulhar” nas águas, pq as bonitinhas custavam muito caro e eu não as usaria aqui no Brasil.
Outra coisa que me chamou muito a atenção foi o cheiro. Em vários lugares, enquanto eu procurava dicas sobre Veneza, li que a ilha tinha um cheiro muito desagradável e que durante a acqua alta o cheiro de esgoto ficava ainda mais forte. Se isto é verdade, eu não sei ... só sei que passei quatro dias na olha e não senti absolutamente nenhum cheiro ruim.

Mas ... falando agora sobre os passeios ...

Veneza é dividia nas regiões de San Marco, Dorsoduro, San Paolo, Santa Croce, Carnareggio e Castello. E em volta de Veneza  estão varias ilhas e as mais conhecidas são  Lido, Murano e Burano.
Esta é uma cidade pequena, na verdade uma ilha de uma lagoa - Lagoa de Veneza - a qual está separada do mar Adriático.

Os pontos turísticos mais famosos são:  Piazza San Marco com sua Basílica Bizantina, a torre da Campanille, o Palazzo Ducale, a Ponte dos Suspiros, Peggy Guggenheim Museo, a Gallerie della’Accademia, a Ponte di Rialto e a Basilica Santa Maria della Salute.

Porém, Veneza é um ponto turístico em si ... e a dica é andar por suas ruelas, atravessando pontes ... por todo e qualquer caminho que se faça, sempre nos deparamos com casarões históricos e lindos cantinhos perfeitos para serem explorados. Não tenha medo de se perder!!! O segredo é seguir as plaquinhas que estão espalhadas por toda a pequena ilha.

A Piazza San Marco é o coração de Veneza. Nela, além de restaurantes, lojinhas e barzinhos, encontramos a Basílica de San Marco que começou a ser construída em 828 d.c para guardar o corpo de São Marco, porém um incêndio a destruiu logo depois. Em 1904, a Basílica começou a ser reconstruída com arquitetura bizantina e estrutura ortodoxa grega, com 5 cúpulas, que na época imitava a Igreja dos 12 Apóstolos de Constantinopla. A Basílica por dentro é linda, toda decorada em mosaicos com uma rica arquitetura bizantina. Dentro da igreja você pode optar por manter-se nas áreas abertas à visitação gratuita, ou pagar para ver as relíquias aqui guardadas: há três opções com custo adicional – a visita ao “tesouro” ou relíquias, a visita ao museu (que inclui a subida até o balcão superior, loggia) e a visita ao retábulo do altar, conhecido como “Pala d’Oro”. Pode-se investir para ver a Pala d’Oro, feita em Constantinopla em 1105, toda em ouro e pedras preciosas. No Museu ficam os famosos cavalos de San Marco. Na verdade, estes cavalos de metal, datados da Antiguidade, foram trazidos pelos cruzados de Constantinopla e estão guardados dentro da igreja/museu – o que se avista no balcão pelo lado externo da basílica são réplicas. A vista da Piazza é impressionante e permite que você observe com cuidado os monumentos à volta: a torre do sino, o relógio de sol, a escultura do leão alado, símbolo de San Marco, o palácio (Pallazo Ducalle), o Grand Canal.

OBS: Não se pode entrar na Basílica com bagagem, mochilas e bolsas grandes. Além disso, muito cuidado lá dentro !!!! O índice de furtos do tipo “bate carteiras” é grande!!!


 Cavalos de metal no centro da cúpula.

Relógio de sol

Em frente a Basílica de São Marco encontramos a Campanile di San Marco (torre do sino), que é a construção mais alta de Veneza. A torre foi originalmente construída para servir de orientação às embarcações que se aproximavam da cidade, agora ela é o melhor ponto de observação de toda a ilha, caso você se interesse em subir, a entrada custa 6 dólares e vc sobe de elevador (nada como um bom elevador ...) (rs ...). Nós deixamos para subir no dia seguinte ... a vontade de sair andando pela ilha era maior (hehehehehhe).



Ao lado da Basílica, fica o Palazzo Ducale . Este palácio construído no século 9, era a residência do Duque e das forças armadas venezianas além de ser o Palácio da Justiça e a antiga prisão da ilha.
A famosa Ponte dos Suspiros (Ponte dei Suspiri) conecta o Palácio Ducale  (prisões velhas a prisão nova), que foi construída pra abrigar a quantidade crescente de prisioneiros que eram enviados a Veneza.


A ponte ao fundo ... em reformas ...

A Ponte dos suspiros é cercada de lendas,  e acabou ganhando este nome, pois ela era o local onde os prisioneiros davam o seu último suspiro de liberdade antes de passar anos ou o resto de suas vidas em calabouços. Hoje em dia, dizem que todo o casal que se beijar em baixo da ponte dos suspiros, será apaixonado para sempre!!!! Nós bem que tentamos seguir a tradição, mas a ponte estava em reforma e não era possível passar de gôndola por baixo dela ...

Foto: Google

Da Piazza, fomos andando seguindo as orientações dos pequenos sinais pintados nas fachadas, que indicam a direção da Ponte da Academia, que cruza o Grand Canal.

Somente três pontes cruzam o Grande Canal, a Ponte Degli Scalzi, a famosa Ponte di Rialto e a Ponte de l'Accademia.

Cruzando a ponte da Academia, siga as orientações para a igreja de Santa Maria della Salute. A Igreja que fica na pontinha da região de Dorsoduro, foi construída em 1630 toda em mármore branco, em honra a Virgem Maria, quem a população acreditava ter sido responsável por ter salvado a cidade da peste negra que assolou a região no século 15.

Por fora, a Basilica é enorme e imponente. Dizem que ela foi construída para ser admirada de longe. Por dentro, é um grande espaço aberto, com uma cúpula enorme e cercada por pinturas que retratam Cain e Abel, David e Golias.






Como este dia estava muito, mais muito frio ... da Basílica, resolvemos voltar para o hotel, tomar um banhozinho quente, almoçar e depois continuar o passeio.

Algumas fotos...










Beijinhos

*Créditos:

Drieverywhere
Viagem na Viaje
Wikipédia
Vamos pra Itália
Guias de viagens locais comprados por nós

Nenhum comentário: