quinta-feira, 5 de julho de 2012

Kouglof

Bom dia meninas !!!!

Ultimamente tenho assistido muito ao canal Bem Simples. Desde que ele foi posto no ar, apesar de dar uma passadinha vez ou outra, nunca tinha parado para assistir com mais atenção.

Além da parte de artesanato (que apesar adorar as ideias nunca coloco nenhuma em prática), adoro assistir aos programinhas de culinária (e estou doida para chegar Julho e assistir a estréia do novo programa da Palmirinha) (hahahahahahahahahaha).

Outro dia, no programa de Confeitaria, me encantei com uma receita de Kouglof ... além do nome ser bonito, este "pão" ficou com uma carinha de delícia pura. Por causa disto, resolvi investigar a origem da receita e suas variações para ver se realmente seria válida fazê-la aqui em casa.


"Esta especialidade escreve-se de várias formas, tendo em comum a sonoridade. É um bolo de massa finta que partilha os ingredientes com outros do seu género natalício: O Panettone, o Pandoro e mesmo o Bolo Rei. A textura é de um pão fibroso de poros médios e de miolo amarelo, sabor ligeiramente doce, semelhante a um brioche, com passas de uva e laranja cristalizada e aroma frutado e a licor.

É típico da Alsácia, região francesa que faz fronteira com a Alemanha e Suíça, cuja capital é Estrasburgo. Por estar tão próximo da Alemanha, Suíça (e por conseguinte Áustria) mas também da Bélgica, nestes países é um bolo comum, existindo variações locais nos ingredientes, como a inclusão de frutos secos e de outras frutas cristalizadas, licores, especiarias... É também conhecido noutros países da Europa central: Hungria, República Checa, Sérvia, Bósnia-Herzegovina, República Macedónia e Polónia. Assim, se justifica as inúmeras designações para este bolo.
Foi popularizado em França pela rainha Maria Antonieta, pois como sabemos perdeu a cabeça por brioches, lol.

O aspecto do bolo é muito semelhante em todos estes locais, usa-se uma forma alta de chaminé, de vários diâmetros, sempre com gomos, sendo as típicas da Alsácia feitas de cerâmica/faiança. Podem também ser usadas as formas metálicas. No fim de assados estes bolos, são no fim de frios, polvilhados com açúcar em pó, à semelhança dos seus congéneres natalinos: o Panettone é alto e redondo, o Pandoro é alto e em forma de estrela de 8 pontas e o Bolo Rei é baixo e com buraco ao meio, tal como o Kouglof.

O nome deste bolo pode ter várias explicações, uma delas advém do nome do padeiro - Kugel, que fez este bolo em homenagem aos reis magos, fazendo-o com a forma dos seus chapéus (o termo é traduzido como chapéu dos turcos, turbante); outra explicação poderá estar relacionada com o aspecto do penteado típico dos final do séc. XVI Gugelhuete."


Como me encantei com a história e fiquei doidinha de vontade de comer um pedacinho deste "pão", lá fui eu anotar a receita para fazer futuramente.

Não prometo fazer logo pois com pouco mais de 8 meses de gravidez, a minha força de vontade anda deitada lá na minha cama e por conta disto estou preferindo pratos mais rápidos e menos trabalhosos.

Mas como sou boazinha ... vou dividir com vocês a receita feita pelo Bem Simples.

As receitas deste bolo variam sobretudo na quantidade de manteiga e de açúcar.

Para formas de 26cm:
Farinha de trigo, 250 g
Açúcar, 40 g
Sal, 6 g
Fermento biológico fresco, 10 g
Ovos, 2
Manteiga, 100 g
Queijo Gruyère ralado, 170 g
Leite, 60 ml
Passas no rum, 50 g
Amêndoas inteiras e laminadas, q/n


Coloque na batedeira (com garfo espiral) a farinha, o fermento, o sal (cuidado para que o sal não encoste no fermento), o açúcar e os ovos (gelados). Bata por uns 10 minutos em velocidade média.

Adicione a manteiga gelada em pedaços pequenos e aos poucos. Incorpore as passas e amêndoas. Bata até que a massa esteja homogênea e desprendendo das paredes da batedeira. Não deixe que a  temperatura passe de 24°C. Retire a massa e coloque-a em uma superfície enfarinhada para descansar por 20 minutos.

Unte as forminhas e coloque a bola de massa de 50 g. Pincele e deixe crescer até dobrar de volume em ambiente livre de correntes de ar e de preferência com uma temperatura de cerca de 28°C. Pré-aqueça o forno a 190°C. Leve ao forno por uns 25 minutos até
dourarem Desenforme em seguida e deixe-os resfriar em grades.  


http://paobolosecia.blogspot.com.br


Beijinhos !!!


2 comentários:

Marta disse...

Tetê.. tb adoro este canal e os programas de culinária!!! Beijos

Fê Mello disse...

Olá Maitê, deve ficar ótimo! E aonde a Palmirinha vai ser a estréia dela?

Beijinhos,

Fê Mello

www.noivadoedgar.blogspot.com